GEMInIS

PRODUÇÃO TELEVISIVA E INSTRUMENTALIZAÇÃO DA NOSTALGIA: O CASO NETFLIX | Castellano | Revista GEMInIS

Confira o artigo “PRODUÇÃO TELEVISIVA E INSTRUMENTALIZAÇÃO DA NOSTALGIA: O CASO NETFLIX” publicado na nova edição da Revista Geminis e realizado por Mayka Castellano e Melina Meimaridis.

RESUMO: O apelo à memória é um recurso utilizado pelo audiovisual americano há bastante tempo. No caso específico do meio televisivo, a ficção seriada tem produzido continuamente obras com elementos estéticos e/ou narrativos nostálgicos. Embora esse recurso seja frequentemente acionado, é notável nos últimos anos uma popularização de remakes, reboots, revivals e releituras de produtos televisivos na tentativa de fisgar espectadores, em um contexto de intensa competição. Nesse cenário, o veículo de streaming Netflix tem se destacado por trazer de volta séries canceladas/terminadas, como também por instrumentalizar a nostalgia, produzindo conteúdo direcionado a fãs saudosistas, em um processo que chamamos de “retomada da audiência”. Argumentamos que embora a nostalgia tenha uma relação próxima com o modelo de produção da TV americana, a Netflix tem se apropriado desse sentimento como uma de suas principais estratégias de posicionamento mercadológico. Para isso, analisamos o caso do revival da série Gilmore Girls, lançado em 2016.

PRODUÇÃO TELEVISIVA E INSTRUMENTALIZAÇÃO DA NOSTALGIA: O CASO NETFLIX | Castellano | Revista GEMInIS

PRODUÇÃO TELEVISIVA E INSTRUMENTALIZAÇÃO DA NOSTALGIA: O CASO NETFLIX

Fonte

julho 25, 2017

0 responses on "PRODUÇÃO TELEVISIVA E INSTRUMENTALIZAÇÃO DA NOSTALGIA: O CASO NETFLIX | Castellano | Revista GEMInIS"

Deixe sua mensagem