GEMInIS

Arquivo de Workshops

Narrativa Transmídia: construção de mundo e múltiplas plataformas

Ministrante: João Massarolo

Objetivos: Proposições e definições de narrativa transmidia. Transmidia e a televisão comercial: novas formas de participação das audiências e de distribuiçào de conteudo. Envolvimento, imersão e agenciamento.

Tópicos:

– narrativa transmidia: definições e aplicações

– Estratégias de construção de mundo

– Transmídia e Televisão: redes sociais como novas audiências e as novas formas de acesso ao conteúdo

– Formas de financiamento de um projeto transmídia

– Produtor transmídia: a experiência de escrever e desenvolver projetos transmídia

Duração: 2h

Bibliografia Básica

EVANS, Elizabeth. Transmedia Television: audiences, new media, and daily life. New York: Routledge, 2011.

SHIRKY, Clay. A cultura da participação. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

GREEN, Joshua; BURGESS, Jean. Youtube e a revolução digital. São Paulo: Aleph, 2009.

FLUSSER, Vilem. Filosofia da caixa preta. São Paulo: Annablume, 2011.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2ª Ed. São Paulo: Aleph, 2009.

Formatos Narrativos para Webséries

Ministrante: Francisco Trento

Objetivos: Demonstrar as características principais de uma narrativa seriada. Fazer a análise do processo de criação de webséries. Desenvolvimento das estratégias transmídia da websérie.

Tópicos:

– Como criar um seriado transmídia ou uma narrativa transmídia?

– Análise dos diferentes formatos narrativos para webseries

– Recepção e interação dos fãs. Como interagir com os teleespectadores em programas produzidos para a web.

– Narrativa televisiva seriada: estudos de caso

– Estratégias utilizadas para o desenvolvimento de uma websérie e na sua distribuição e divulgação?

Duração: 2h

Bibliografia Básica

ECO, Umberto. A inovação no seriado. In: Sobre os espelhos e outros ensaios. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.

GRAY, Jonathan. Show Sold Separately Promos, Spoilers, and Other Media Paratexts. Nova Iorque: New York University Press, 2010.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2ª Ed. São Paulo: Aleph, 2009.

JENKINS, Henry. Textual Poachers: television fans and participatory culture. Nova Iorque: Routledge, Chapman and Hall, 1992.

ARGs: imersão, performance e construção de mundo

Ministrantes: Gabriel Correia – Dario Mesquita

Objetivos: Apresentar um panorama histórico e estético dos alternate reality games (ARGs), ou jogos de realidade alternada. Discutir os aspectos fundamentais dessas experiências lúdicas que envolvem o uso de múltiplas plataformas de mídia: imersão, performance, narrativa e construção do story world.

Tópicos:

– ARGs – Definições e Histórico

– A imersão em Jogos de Realidade Alternada

– Espaços Abertos x Espaços Fechados – Imersão e Performance

– Aspectos Narrativos – Escrita em tempo real e colaborativa

– Construção de mundo ficcional – design, artefatos, puzzles e lacunas narrativas

Análise de estudos de caso: Homem de Ferro 2 – Super 8

Duração: 2h

Bibliografia Básica

GOSNEY, John W. Beyond Reality – A Guide to Alternate Reality Gaming. Boston: Thomson Course Technology PTR, 2005.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2ª Ed. São Paulo: Aleph, 2008.

MCGONIGAL, Jane. Alternative Reality Gaming. Apresentação à MacArthur Foundation, nov. 2004. Acesso em: 15 mai. 2010. Disponível em < http://www.avantgame.com/McGonigal%20ARG%20MacArthur%20Foundation%20NOV%2004.pdf&gt;.

Cinema e Transmídia: ampliando universos

Ministrante: Roger Mestriner

Objetivos: Partindo do estudo de caso de A Bruxa de Blair, passando por outros exemplos mais recentes até culminar com o vindouro Os Vingadores, pretende-se analisar filmes que fizeram uso de diferentes mídias como forma de expandirem seus universos próprios, identificando possibilidades que a narrativa transmídia pode proporcionar à narrativa cinematográfica.

Tópicos:

– 1999: narrativa transmídia começa a ganhar força e tomar forma.

– A Bruxa de Blair: quando ficção e realidade se confundem.

– Matrix: multiplicidade de mídias em prol de um único universo.

– Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças: fan fictions como expansão de um universo possível.

– Franquias dos anos 2000: a popularização do uso de diferentes plataformas narrativas.

– Os Vingadores: esforços para um universo coeso.

Duração: 2h

Bibliografia Básica

DENA, Christy. Patterns in Cross-Media Interaction Design: It’s Much More than a URL… (Part 1) On-line. Disponível em: http://www.cross-mediaentertainment.com/index.php/2007/03/10/cross-mediainteraction-design-cmid/, March 10, 2007. Acessado em 17/09/2009.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2ª Ed. São Paulo: Aleph, 2009.

JENKINS, Henry. Transmedia Storytelling 101. On-line. Disponível em: http://www.henryjenkins.org/2007/03/transmedia_storytelling_101.html. Acessado em 24/09/2009.

JOHNSON, Steven. Surpreendente! : a televisão e o videogame nos tornam mais inteligentes. Rio de Janeiro : Elsevier, 2005.

POSTMAN, Neil. Technopoly: the surrender of culture to technology. New York : Random House, 1993.

Mídias sociais e as novas formas de consumo e mobilidade

Ministrante: Maíra Valencise Gregolin

Objetivos: Discutir as novas formas de comunicação e interação possibilitadas pelas mídias sociais, pelos dispositivos móveis e as tecnologias emergentes.

Palavras-chave: mobilidade, mídias locativas, cultura participativa, nativo digital, prosumer, transmídia

Tópicos

– Diferenças entre gerações: a influência tecnológica no uso das mídias

– Prosumer, o novo consumidor de conteúdo

– Socialnomics: compartilho, logo existo!

– O fenômeno da mobilidade

– As tecnologias móveis e suas interfaces com o espaço urbano.

– Afinal, pra que servem as mídias sociais?

– Putz, minha mãe está no Facebook!

– O ativista da Era digital

Metodologia

Pretende-se trazer para reflexão os principais pensadores da atualidade bem como propiciar a prática de atividades lúdicas e didáticas pelos participantes.

Bibliografia Básica

CANCLINI, Néstor Garcia. Leitores, espectadores e internautas. São Paulo: Iluminuras,

2008.

FELINTO, Erick. Think different: estilos de vida digitais e a cibercultura como expressão

cultural. Revista FAMECOS. Porto Alegre, no. 37, dez, 2008.

JENKINS, H. A cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

JOHNSON, Steven. Emergência: a vida integrada de formigas, cérebros, cidades e softwares. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003

JENKINS, H. A cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

LEMOS, André (ed.). Cibercidade: as cidades na cibercultura. Rio de Janeiro: E-papers, 2004.

TANCER, Bill. Click: O que milhões de pessoas estão fazendo on-line e por que isso é importante. Rio de Janeiro: Globo,2009

TAPISCOTT, D. A hora da geração digital. Rio de Janeiro: Ediouro, 2010.

VALENCISE-GREGOLIN, M. Mídia e Cultura: Machinima, objeto da contemporaneidade. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2009.

Transmídia e Seriados: Serialidade, profundidade, canonicidade e transmidialidade

Ministrante: Glauco M. Toledo

Objetivos: Estudar o que os seriados têm feito para atualizar-se em um momento de complexificação das narrativas para o entretenimento de fluxo, proposto por uma mídia tradicionalmente encarada como massiva, como a televisão, buscando impedir a migração do público para outras mídias (ou, talvez, tentando ir junto com o público?) expandindo, assim, universos narrativos e abrindo margem para que se aponte lacunas que possam ser preenchidas pelos espectadores.

Palavras-chave: Narrativas complexas, narrativas transmídia, seriado, serialidade, canonicidade, cultura participativa, fanfiction

Tópicos:

– Star Trek e a construção de mundos

– Twin Peaks e os artefatos diegéticos

– Lost, a complexificação e a discussão de canonicidade

– Heroes e a cultura participativa

– Grey’s Anatomy e a transmidiação fora da ficção científica

– Mad Men – isso não é um anúncio, é transmídia! E deu errado

Metodologia

Analisar seriados que foram se utilizando dos conceitos discutidos e o que se pode aprender com as experiências transmidiáticas realizadas por eles para aprimorar próximas tentativas de produção.

Duração: 04 horas

Bibliografia básica

JENKINS, H. A cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

__________. Transmedia Storytelling 101. On-line. Disponível em: http://www.henryjenkins.org/2007/03/transmedia_storytelling_101.html. Acessado em 24/04/2011.

JOHNSON, Steven. Surpreendente!: a Televisão e o Videogame nos Tornam mais Inteligentes. São Paulo:Campus, 2005

MEDEIROS, Rosângela Fachel de. O Cinema enquanto Polissistema: a Teoria do Polissistema como ferramenta para análise fílmica. In Em Questão, vol. 16, No 1. Disponível em: http://revistas.univerciencia.org/index.php/revistaemquestao/article/view/6971/6291. Acessado em 24/04/2011.

PETERS, Steve; McHUGH, Maureen. It’s Not an Ad; It’s Transmedia. Disponível em: http://www.igda.org/newsletter/?p=374. Acessado em 24/04/2011.

março 21, 2013